Blog Cupola

Incidente em apartamento no Chile aquece debate sobre a Airbnb

Por , em

A morte de uma família brasileira em um imóvel alugado pela Airbnb, no Chile, repercutiu em todo o mundo. Seis pessoas foram vítimas de um vazamento de gás em um apartamento que não estava com as certificações em dia. Além da tragédia em si, o caso levanta questionamentos sobre o funcionamento e a segurança dos imóveis anunciados pela plataforma.

A Airbnb providenciou o transporte dos corpos para o Brasil. Em texto, lamentou o episódio e destacou que segurança é sua prioridade, mas que é responsabilidade dos anfitriões certificar que seguem as leis e as regulações locais. Também informou que o hóspede é avisado se o imóvel tem, ou não tem, detectores de fumaça ou monóxido de carbono.

A discussão sobre a Airbnb é global. Em Nova York, a preocupação é com os proprietários, que estão deixando suas casas para transformá-las em hotéis. Para lidar com a situação, a plataforma concordou em fornecer às autoridades dados sobre anfitriões e reservas.

Vale lembrar que a Airbnb se prepara para seu IPO em 2020. Por isso, está tentando amenizar os comentários negativos e começa a negociar com as cidades e pessoas que o criticam, como Murray Cox – um ativista contra a plataforma. “Sou apenas um ativista de moradia. Acredito que a moradia é um direito humano, não é uma ferramenta econômica ou uma mercadoria”, afirma.

Os grandes anunciantes da Airbnb em São Paulo e Rio são empresas. É o que aponta pesquisa da Folha de S. Paulo, que identificou que 8 dos 10 maiores anunciantes administram até 157 imóveis – realidade longe da que uma pessoa física conseguiria manter. Segundo o levantamento, são agências de turismo, administradoras e imobiliárias que estão à frente dessa gestão.

TRENDS

De mulheres, para mulheres. No Pará, a plataforma Minerva conecta prestadoras de serviços com experiência no setor da construção civil a outras mulheres que precisam de reparos domésticos.

Em Goiânia, um empreendimento vai lançar uma calçada pet friendly. O diferencial é ser munida de lixeira antiodor, suporte para sacolinhas de lixo e bebedouro para cães e gatos. Deve ser construída em torno da quadra do prédio, atendendo também à comunidade local. Embora não seja exatamente uma novidade, é um atrativo e tanto para um país que tem mais cachorros do que crianças em suas casas.

E por falar em pets, agora é proibido proibir. O STJ decidiu no mês passado, por unanimidade, que condomínios não podem impedir seus moradores de terem um animal de estimação em sua unidade. A única ressalva é feita a casos em que o pet coloque em risco a segurança e a tranquilidade dos condôminos, desde que o risco seja comprovado.

Curitiba é conhecida como cidade ecológica. E agora abriga a casa considerada a mais sustentável do Brasil. Com painéis fotovoltaicos, microgerador eólico e com eficiência energética, toda a energia utilizada é autogerada. Também conta com um sistema de captação de água fluvial e um projeto de arquitetura que dispensa o uso de ar-condicionado. O imóvel atingiu a maior pontuação do selo Green Building Council Casa.

VENDAS

Os consórcios crescem a largos passos no Brasil. No primeiro trimestre de 2019, ultrapassou R$ 25 bilhões. Para quem decide esperar ser contemplado, a modalidade é considerada segura e mais barata do que o financiamento.

Segundo uma pesquisa da Fipe com a Abrainc, a expansão das vendas de imóveis no primeiro trimestre foi de 1,9%, comparando-se com o ano anterior. Também foi apontado aumento de 23,9% no lançamento de imóveis. Já segundo a CBIC, dados de 23 capitais apontaram um aumento de 9,7% na venda de imóveis e 4,2% nos lançamentos.

Caso o Miinha Casa Minha Vida seja descontinuado do formato atual, as construtoras já preparam alternativas, que envolvem principalmente diminuir os estoques de imóveis. São duas principais frentes: fortalecer saldões e eventos e procurar soluções, ainda que sejam alteradas as diretrizes do programa.

CONSTRUÇÃO CIVIL

A CBIC projeta um crescimento de 10% a 15% do mercado imobiliário no país, ainda neste ano. A perspectiva da entidade é de que este aumento seja puxado pelo segmento de imóveis de médio e alto padrão.

Mas a confiança dos empresários vem com parcimônia. O ICEI-Construção caiu em maio e figura em 55,8 pontos, maioria ainda positiva, na escala de 0 a 100. Para a CNI, a instabilidade econômica é o principal motivo da queda.

A maior insegurança está na aprovação das reformas, que estão demorando mais tempo do que se esperava. “O clima de otimismo arrefeceu um pouco. Há a percepção de que a reforma da Previdência não vai ser tão rápida como se imaginava (…) Não havendo uma resposta mais rápida, teremos dificuldade de captação de recursos externos para o país (…) Se ela vier a contento e rápida, tudo acaba se resolvendo, o capital externo vem e facilita bastante a economia. Isso, logicamente, se reflete no mercado imobiliário”, comenta Aquiles Dal Molin Jr, presidente do Sinduscon-RS.

GOVERNO

Secovis de 15 estados e do Distrito Federal criaram uma Agenda Legislativa e Projetos Prioritários para 2020. A pauta foi organizada em temas principais, como desenvolvimento urbano, comercialização, incorporação, locação, terrenos de marinha e condomínios. E, segundo o presidente do Secovi-DF, Ovídio Maia, o intuito principal é apresentar dados atualizados do mercado para os novos parlamentares.

Os corretores também se organizam politicamente. O Sistema Cofeci-Creci apresentou propostas para um grupo de deputados e senadores. Entre eles, redução de carência para saque e uso do FGTS, inclusão de corretores de imóveis no Simples Nacional e incentivos para a aquisição de imóvel.

Segundo a Agência Pública, quem entende bem da importância do lobby é Rubens Menin, presidente da MRV, dono da nova CNN Brasil e amigo do presidente Bolsonaro. Um perfil sobre o profissional explora seu novo empreendimento na mídia nacional, além de seus relacionamentos com o governo atual e anteriores.

CIDADES

A superquadra é a quadra perfeita planejada por Lúcio Costa. Em Brasília, foi projetada para que os moradores pudessem fazer proveito do que a cidade tem para oferecer: muito verde, escolas públicas próximas, ambientes de convivência e apartamentos confortáveis. Cinquenta anos depois, a realidade é outra e o minidocumentário Superquadra Sul 308 mostra como a região virou refelxo da desigualdade nas grandes cidades.

Na Zona Leste de São Paulo, hortas encontram espaço nos terrenos baldios. Alimentando a população e reinventando locais abandonados, a organização Cidade sem Fome conta com 21 hortas comunitárias, que são cuidadas pelos próprios moradores. Já são 115 famílias beneficiadas com alimentos e com o lucro das vendas dos produtos restantes. O uso dos terrenos é negociado com os proprietários.

A Medida Provisória 868, que criaria um novo marco regulatório para o setor de saneamento no Brasil foi arquivada. Um artigo do Seu Dinheiro, publicado antes da medida caducar, explica um pouco sobre o jogo político e econômico envolvendo empresas estatais e privadas na disputa.

A população brasileira mais pobre empobrece mais a cada dia. A pesquisa Pnad Contínua, divulgada pelo IBGE, mostra números como o aumento de 9% de famílias vivendo em imóveis cedidos e/ou aluguel. E um dado que alarma: 27% dos lares passou a preparar alimentos com lenha e carvão, devido os aumento no preço do gás.

AGENDA

Entre os dias 13 e 14 de junho, em Brasília, a inGaia apresenta o Masters inGaia. No primeiro dia, o evento é restrito para clientes que fazem uso do CRM. No segundo, aberto ao público, influenciadores e profissionais do mercado apresentarão tendências e novidades do imobiliário. Ingressos aqui.

INVESTIMENTOS

Segundo pesquisa feita pela Big Data SmartBrain, a maioria dos Fundos de Investimento Imobiliários escolhidos pelos brasileiros visa a geração de renda com locação. Sua base de dados é formada por um terço de todos os investidores do segmento e aqui eles listam os 10 FIIs preferidos no país.

Amâncio Ortega, dono da Zara, é o super-rico europeu com maior portfólio imobiliário. O espanhol realizou uma série de compras, incluindo hotéis, edifícios e escritórios nos Estados Unidos, totalizando um investimento de mais de 3 bilhões de dólares no mercado imobiliário.

A evolução dos preços dos imóveis de luxo chegou ao nível mais baixo em 10 anos. De acordo com o Prime Global Cities Index, que acompanha os preços de imóveis de luxo em 45 cidades do mundo, o principal motivo é a insegurança política decorrente de eventos como o Brexit e a guerra comercial entre China e EUA. Já o mercado de luxo europeu continua quente: Berlim, Frankfurt, Edimburgo e Paris foram as cidades com maior crescimento.

MUNDO

No Vale do Silício, aumentou (e muito) o preço de imóveis e aluguéis, o que tornou os valores insustentáveis para muitos moradores. O resultado? Um boom de trailers em São Francisco. Mas os moradores dos motor-homes estão enfrentando uma incerteza, uma vez que as cidades começaram a se incomodar com esse movimento. Mountain View, onde fica a sede da Google, proibiu os proprietários de estacionarem seus trailers durante a noite em ruas públicas, na tentativa de limitar a prática.

O mercado imobiliário português começou a reconhecer a força dos brasileiros, que já correspondem a 19% do investimento estrangeiro em imóveis, segundo a Associação de Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP). Segundo o presidente da instituição, “estes brasileiros são completamente diferentes daqueles que vieram para Portugal no passado. Pertencem a uma classe social mais elevada e estão a comprar casas em todo o lado”.

Na União Europeia, a bola da vez são imóveis para estudantes e seniores. É o que aponta o estudo Global Living, da Savills, tendo o coliving multigeracional como tendência no continente em 2019.

Quem não precisa dividir a residência são os jogadores de futebol. Para matar a curiosidade, uma galeria de luxuosas mansões dos futebolistas brasileiros.

Já assinou o Imobi Report? Inscreva-se no site imobireport.com.br e receba as edições primeiro. É grátis!

Também estamos nas redes sociais: acompanhe-nos no facebook, no instagram ou no twitter.

Categorias

Imobi Report

Continue lendo

Minha Casa Minha Vida só depois da Reforma da Previdência

Não há mais o que fazer a não ser esperar e torcer. A constatação vem de…

Ver mais

Como o corte no IBGE pode afetar o mercado imobiliário

O IBGE terá orçamento 25% menor que o previsto, de R$ 3,4 bilhões, para realizar o …

Ver mais